Arquivo da categoria ‘Política’

Das Leben der Anderen

Publicado: setembro 25, 2009 em Filmes, Política
Tags:, , , ,

Meio sem tempo para uma análise melhor estruturada, segue apenas uma dica de um filme sensacional. O alemão “Das Leben der Anderen”, ou no nome em português “A Vida dos Outros”, é um dos melhores filmes feitos recentemente. Com um orçamento muito menor, A Vida dos Outros é tudo que os americanos  gostariam de fazer, mas lhes falta sensibilidade.

Com certeza é o melhor filme já rodado sobre a Alemanha comunista. Com um roteiro simples e bem resolvido e três excelentes atores o filme ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2007. Inteligente, sensível e com uma fotografia perfeita é uma excelente pedida.

aaaaaaaaa3fa3fvd0

Sinopse

Georg Dreyman (Sebastian Koch) é o maior dramaturgo da Alemanha Oriental, sendo por muitos considerado o modelo perfeito de cidadão para o país, já que não contesta o governo nem seu regime político. Apesar disto o ministro Bruno Hempf (Thomas Thieme) acha por bem acompanhar seus passos, para descobrir se Dreyman tem algo a esconder. Ele passa esta tarefa para Anton Grubitz (Ulrich Tukur), que a princípio não vê nada de errado com Dreyman mas é alertado por Gerd Wiesler (Ulrich Mühe), seu subordinado, de que ele deveria ser vigiado. Grubitz passa a tarefa a Wiesler, que monta uma estrutura em que Dreyman e sua namorada, a atriz Christa-Maria Sieland (Martina Gedeck), são vigiados 24 horas. Simultaneamente o ministro Hempf se interessa por Christa-Maria, passando a chantageá-la em troca de favores sexuais.

Anúncios

Frost / Nixon

Publicado: agosto 3, 2009 em Filmes, Mídia, Política
Tags:, ,

frost_nixon_ver2

Um apresentador de programas de auditório festeiro e considerado fútil. Um ex-presidente que renunciara três anos antes por sucessivas denúncias de abusos de poder e fraudes eleitorais. O filme Frost / Nixon conta a história real de uma entrevista que faz parte da história dos Estados Unidos.

Depois do escândalo do Watergate, Richard Nixon fica os três anos seguintes sem falar com a imprensa. Na mesma época, o apresentador David Frost mantém programas na Austrália e Inglaterra, além de uma frustrada passagem pelos EUA. O projeto de David era ambicioso: Pagar do próprio bolso para entrevistar um político experiente, e encurrala-lo até extrair dele uma confissão nunca feita. Para Nixon, a tarefa era aparentemente mais fácil: Ganhar U$$ 600 mil, fugir das perguntas mais capciosas de um entrevistador com pouca experiência política, e ainda levar algum capital político.

O resultado dessa mistura é um filme intenso. A idéia inicial de recontar a história vem do teatro. E para viver a história no cinema, os mesmo atores da peça foram chamados. A única coisa que se pode dizer da atuação de Frank Langella (Nixon) e Michael Sheen (Frost) é que eles foram magistrais. O veterano Langella dá um show ao retratar a profunda personalidade do ex-presidente. Não à toa, ele foi indicado ao Oscar de melhor ator. 

Apesar de todos os elogios e de ter gostado filme, confesso que esperava mais dele. Não é o filme que não é bom, eu é que superestimei a produção. A partir do trailer acabei esperando demais de Frost / Nixon. Para mim, faltou um pouco de emoção, aquelas coisas forçadas que os críticos questionam, mas que os pobres mortais tanto gostam. Ainda assim,. o filme é altamente recomendável.

Apenas aconselho que quem queira retirar o máximo da produção tenha bons conhecimentos do caso do Watergate. Eu particularmente já vi o filme “Todos os homens do presidente” e também já li o livro de mesmo nome. Em várias passagens, Frost / Nixon faz referência a personagens da trama, sem explicar quem eles são. Quem já conhece a história, passa tranqüilo, que não conhece não perde nada de substancial, mas acaba ficando sem alguns detalhes. Fica a recomendação de um filme para se ver com a atenção aguçada.

Rio Grande em chamas

Publicado: junho 5, 2008 em Bafos, Desabafos, Política

Melhor diálogo de todos os tempos.

Flavio Vaz Netto: Eu estou indo para Esteio, e o Dr. Pratini deve estar com a governadora [do RS, Yeda Crusius].

Antônio Dorneu Maciel: Se tu puderes, pergunta para ela se a orientação é a do Delson [Martini, hoje secretário Geral de Governo]. Se tu tiver chance, depende do ambiente. Tu tem que ter jeito. Isso não é assunto para atropelar.

Flavio Vaz Netto: O cara nega essa incidência dele?

Antônio Dorneu Maciel: Ele disse que vai falar com ela. Ela vai dizer para ele. Mas ele já está aceitando, porque diz que ela é sem-vergonha mesmo. Ela faz assim, logra as pessoas, joga um contra os outros: ‘tá vendo? tá vendo?’”

Flavio Vaz Netto: É aquela história: se é guerra, é guerra, daí eu tenho que me preparar.

Antônio Dorneu Maciel: Eu disse pra ele que quem vai definir é ela. Mas é isso aí. Se tu tiveres chance boa [pergunta]: ‘Governadora, está dando um pequeno impasse lá. Sigo orientação do Delson?’

Questão de estilo

Publicado: abril 30, 2008 em Bafos, Política

deputado Mano Changes

A foto é do deputado Mano Changes. Em plena sessão plenária na Assembléia Legislativa, o músico vestiu um de seus já tradicionais looks. Casaco, camisão por fora das calças, calça jeans, tênis All Star, enorme boné e para completar a barriguinha de cerveja.

Detalhe: É proibido usar boné no plenário, ele o levou só para garantir o estilo!!!

Para que servem as CPIs

Publicado: abril 29, 2008 em Desabafos, Política
Você é policial? então é investigar particular? Ao menos advogado criminal? Se você não é profissional de nenhuma dessas áreas não tem competencia para investigar crimes certo? Errado. Pelo menos é o que pensam os políticos brasileiros. A cada nova denuncia, ou investigação feita pela policia federal que envolva recursos públicos, o Poder Legislativo toma para si a responsabilidade de investigar as acusações. O instrumento utilizado é instaurar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

Acompanhando de perto o desenrolar da CPI do Detran na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul nota-se o evidente despreparo dos deputados para interrogar os indiciados. Pior, todos os chamados já prestaram depoimentos para a polícia e as perguntas formuladas são as mesmas. De que adianta perguntar o que já se sabe a resposta, apenas para preencer tempo?

A justiça, por sua vez, não contribui em nada com os membros da CPI. Todos os indiciados chegam ao 3° andar do palácio farroupilha para depor amparados por uma liminar que os reserva o direito de não responder questões que os possa incriminar. É dificil entender porque interrogar alguém que pode simplesmente ficar calado. Essa situação tem produzido um espetáculo de comédia pastelão. Os indiciados falam o que quer, debocham e menosprezam os deputados.

Exemplo da imperiosa demência que a assola a CPI, foi o “depoimento” de Ferdinando Fernandes, sócio da Pensant. A todas as perguntas o depoente em tom de voz sarcástico respondia: Excelêntissimo senhor deputado Fulano de Tal a resposta a todos os questionamentos serão dados ao Poder Judiciário. Mesmo assim, o deputado Adilson Troca (PSDB) fez 55 perguntas ao advogado.

A questão é que deputados não são investigadores. A maioria não tem o mínimo preparo para interrogar ou investigar o que quer que seja. Assim as CPIs se tornam apenas um joguete político. A oposição joga para chegar no governo e desestabiliza-lo. Os governistas, fazem de tudo para livrar pessoas ligadas ao governo. Nesse joguinho político, o que realmente interessa não vem a luz. Quem são os culpados? Onde foi parar o dinheiro público (nesse caso R$ 44 milhões)? O final da CPI todos já conhecem. Diversas implicações políticas, mas nenhuma conclusão concreta de onde foi para o nosso dinheiro.

 

Como escrever um livro em três dias

Publicado: dezembro 4, 2007 em Bafos, Política

E por falar em Mônica Lewinsky, digo Veloso, venho a público render meu reconhecimento a capacidade intelectual dessa criatura inacreditável que, ao que parece, escreveu um livro em três dias!!!

A ex jornalista, ex amante do senador Renan Calheiros, e ex capa da playboy lançou com estardalhaço no ultimo dia 28 seu livro “O poder que seduz”.

A verdade é que ninguem sabe como ela escreveu um livro em tão pouco tempo. Dizem que ela pesquisava frases no google e depois copiava e colava. Bem pode ser isso mesmo, tamanho o numero de clichês e frase prontas utilizadas no livro.

Por dever jornalistico e esperando estórias calientes esse humilde escriba leu o livro e pode afirmar que são livros como esse que fazem do Brasil o oitavo pior país em leitura no mundo!

Cheguei ao final do livro com lágrimas nos olhos. Segue o paragrafo final para que chorem comigo…

A essência que cada um carrega dentro de si, por mais sufocada que seja, florescerá um dia para iluminar nossas escuridões e varrer nossos medos, como o sol vermelho e o vento noturno do Planalto Central”.

O Renan Renunciou

Publicado: dezembro 4, 2007 em Política

E bem no momento do inicio dos trabalhos deste blog, eis que Renan Calheiros acaba de renunciar ao cargo de presidente do senado.  

 O Bill Clinton brasileiro, envolvido em escandalo sexual com a jornalista  MONICA Veloso e participante das ultimas maracutaias mais impolgantes da politica tupiniquim pediu pra sair como diria o Cap Nascimento.

 Vai em paz e sem pressa pra voltar meu filho!!!